Sobre Mim


          Adoro: moda, morango, sonhar, cachorro, filme, chá, cosméticos, liberdade, sinceridade, lógica, amor livre, dedicação, politicamente correto...
          Odeio: cansaço, dor, umidade, desconforto, sujeira, remédio, ciúme, hipocrisia, desculpa, ignorância, preconceito, maldade...

          Eu nasci em Atibaia no dia 31 de janeiro de 1988 e sou sansei com descendência nipônica e lusitana. Morei no Japão de 91 a 94, onde tive contato com a street fashion japonesa e moda em si pela primeira vez. Desde então, surgiu um interesse cada vez maior no assunto. Com 14 anos, passei a morar sozinha, a fazer bicos e ter mais autonomia, o que me permitiu investir mais no meu estilo, que variou entre punk e militar, até eu decidir mudar totalmente e investir em lolita, aos 21, adotando de vez em 2011.
          A essa altura, eu havia finalizado um curso técnico em administrações e estava cursando letras francês em Florianópolis. Lá, eu conheci o Hudson, com quem tenho um ótimo relacionamento aberto há 7 anos. É ele quem mais me incentivou a iniciar o estilo, desde me presentear com a primeira peça, até se treinar para fotografar cada um dos outfits que fui criando. Ele também me ajudou e foi o principal pilar de apoio quando comecei a ter problemas de saúde, que logo se identificaram como síndrome fadiga crônica.
          Eu sempre fui ativa, viciada em estudos e em trabalho, saía todo final de semana, praticava esportes, me exercitava diariamente e adorava a minha energia e autossuficiência. Nunca mais pude fazer essas coisas. Passei a ter dificuldade de concentração, o que atrapalhou os estudos, até ter que parar totalmente e trancar o curso faltando apenas um ano para concluir, por conta do cansaço e das dores que se tornaram insustentáveis.
          Levei três anos para ter um diagnóstico e quando soube, tive que decidir entre me tratar com remédios e terapia para continuar com a antiga rotina ou mudá-la totalmente. A única certeza que tive ao estudar a doença foi a grande tendência a depressão, pois a qualidade de vida piora muito e a medicação não é eficaz e apenas mascara, viciando e piorando a saúde por conta da química.
          Eu sou muito positiva, animada e proativa, pendendo para o racional e mantendo o emocional estável e bom. Depois de perder o controle do corpo, tive muito medo de perder o da mente. Ao notar que o meu limite era sair de casa uma ou duas vezes por semana e ter que ficar em repouso total nos outros dias, optei por manter apenas uma rotina social mínima e a moda, numa espécie de terapia da felicidade.
          Sinto que tenho sorte, pois, apesar desse impasse, ainda sou feliz. Ter me mantido ativa com lolita me fez ter sempre algo que eu conseguisse fazer em casa, me motivando a sair da cama para montar um outfit ou escrever no blog. Me fez ter ânimo para sair de casa e me sentir viva e linda. Também conheci muitas pessoas queridas que passaram de leitores a grandes amigos, sem os quais eu não teria vontade de fazer metade do que faço hoje se não fosse pela companhia delas. E ainda fui abençoada pela fama positiva que recebi em torno disso tudo para ter visibilidade como vendedora de itens relacionados, possibilitando que eu trabalhasse em casa, com uma remuneração suficiente para bancar esse estilo de vida e com pouca carga horária.
          Não teria como resumir essa história de outra forma, já que eu giro em torno da síndrome e da moda, mas não tenho do que reclamar, pois estou emocionalmente bem até hoje e ainda não precisei do tratamento tradicional, provavelmente por saber equilibrar as duas coisas.
          Atualmente estou morando em Atibaia com a minha família. Eles só souberam do meu problema quando me mudei para cá no ano passado e me convidaram para morarmos todos juntos para poderem ajudar a cuidar de mim. O Hudson, com quem eu já morava há 6 anos, estava morando conosco até pouco tempo e agora voltou para Jacareí para ajudar o pai na empresa da família dele.
          No mais, a minha vida é assim, restrita e calminha, mas boa. Saindo quando posso, vendendo lolitarias na My Subarashii LoliSales, tentando ver beleza em afazeres simples e aguardando descobertas positivas sobre fadiga crônica.

4 comentários:

  1. Espero que fique melhor logo! <3
    Você é uma pessoa admirável!
    Mesmo lhe conhecendo apenas pelo blog,
    consigo perceber isto! ^^
    <33

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, muito obrigada! <3 A ciência está evoluindo muito. Acho que vou conseguir presenciar o dia em que vão descobrir a cura ^^

      Excluir
  2. faltou so um canal no youtube
    abraços

    ResponderExcluir

* Seja educado e coerente.

* Não faça propagandas.

* Agradeço muito pela visita e pelo comentário <3